13 coisas para não fazer no Facebook em 2016

January 8, 2016

É impensável que uma empresa em 2016 ainda não possua uma página no Facebook é como aquela que não tinha um site há alguns anos, você simplesmente desconfia e ela perde a credibilidade, já que a procura online é o primeiro contato de uma pessoa com aquela empresa.

 

Em contrapartida, não basta simplesmente criar uma página e depois abandoná-la ou não criar nenhum movimento. Veja abaixo como evitar alguns erros básicos na maior rede social do mundo.

 

 

1 . Crie uma página para sua empresa, NÃO UM PERFIL.

 

Já estamos cansados de falar e recomendar que não se deve criar perfil para empresas. Por mais tentador que seja, você terá uma falsa ilusão de conseguir encher o seu Facebook de pessoas, mas o objetivo é a criação de valor e possíveis clientes e parceiros.

 

Com o perfil você vai adicionar as pessoas de forma aleatória, porém com as páginas você vai segmentar o seu público de acordo com os interesses deles. Você poderá criar anúncios, relatórios com o movimento da página e das publicações, descobrir qual a faixa de idade e gênero que mais está interessado nos seus produtos ou serviços, e muitos outros aspectos.

 

2 . Não crie um perfil com o nome da empresa para administrar uma página da empresa

 

Esse também é um erro muito comum, e você pode pensar: como vou gerenciar uma página ou colocar funcionários para trabalharem por ela?

 

Primeiro, entenda que o consumidor não te conhece e ficará perdido sem saber em quais dos locais enviar um comentário ou pergunta. Outro aspecto a ser considerado é como você vai administrar as duas contas; afinal, vai postar e responder a todos pelo perfil e página?

 

Não seria bem melhor ter apenas um canal de comunicação com o seu cliente? Provavelmente você já deve ter e-mails, outras redes sociais e telefones a responder. Assim, não crie mais um local para você ficar vigiando.

 

Então o que deve ser feito?

 

O proprietário da empresa deve ter um perfil no Facebook, onde ele é o Administrador da Página de sua empresa. Os funcionários e agências devem ser adicionados como Editores, cada um com seu perfil, para que possam ter acesso total à página, sendo possível que eles façam posts e anúncios.

 

3 . Não poste somente fotos

 

Em um passado não muito distante, as fotos e imagens reinavam no feed de noticiais. Agora, tudo mudou e as imagens estão perdendo cada vez mais espaço, principalmente o alcance orgânico. Os vídeos são o que dominam hoje o Facebook, isso devido a mudança de estratégia da rede social. Os links também têm sido eficazes, mas cada público reage de um jeito.


Especialistas na área indicam estar sempre experimentando todos os tipos de publicações e avaliando o que dá mais resultado com seu público, afinal a rede social está sempre mudando.

 

4 . Não publique imagens de qualquer tamanho

 

Sabe aquela imagem legal que você achou na internet e tem tudo a ver com sua página, mas quando você abre ela está muito pequena e difícil de visualizar? Você não fica frustrado porque queria apreciar ela melhor? Essa será a mesma sensação que o cliente terá quando quiser ver melhor a imagem que você colocou.

 

Dessa forma, o Facebook tem dimensões padrões para todos os tipos de imagens e não somente capa e perfil. Seguindo esse padrão, suas imagens não perderão foco nem ficarão deslocadas nos feed de notícias. Veja as dimensões padrões aqui

 

5 . Não Publique os links sem editar

 

Quando você cola algum link em uma publicação do Facebook ele abre uma imagem e uma curta descrição sobre o assunto: são chamados de metadescrições. Ao invés de publicar diretamente o link sem alteração você pode alterar por completo as metadescrições. Logo, busque uma imagem que tenha um apelo maior e que seja pertinente ao assunto, modifique o texto para uma chamada mais impactante, podendo colocar algum trecho de uma entrevista ou dados de uma estatística.

 

6 . Não crie iscas falsas para gerar cliques

 

O Facebook já começou a rastrear quanto tempo uma pessoa passa em links que foram redirecionados da rede social, para avaliar o quanto essas páginas são realmente relevantes e se oferecem aquilo que prometem mesmo. Imagina você ver uma bela imagem de um bolo recheado, prometendo uma receita com poucas calorias e quando você clica para abrir a página do site você vê uma matéria com outro assunto diferente?  O que você faria? Certamente você ficará indignado e sairá imediatamente do site! Com certeza aquela empresa começará a ser mal vista tanto por você quanto por todos os outros usuários que abriram o link e o usuário negativar aquele link, perdendo espaço para outras empresas na disputa do leilão de anúncios e relevância no alcance orgânico.

 

Então, quando sugerimos escolher uma chamada impactante e uma imagem apelativa, não se esqueça que elas não podem sair do tema ao ponto de confundir o usuário e gerar pontos negativos para sua postagem.

 

7 . Não descuide dos comentários, mensagens e publicações na sua página.

 

Não ignore os comentários em sua página, é a mesma coisa que um cliente entrar na sua loja e você sair para tomar um café e deixa-lo ali parado: é falar que não se importa com o que ele pensa ou o que tem a dizer.

 

Deixe sua página aberta aos comentários mesmo sem pré-aprovação; com isso, sua empresa demonstra que se preocupa em ouvir o cliente e que sua página não é para transmitir somente as suas opiniões.

 

8 . E se reclamarem? Não ignore nem seja mal educado nas respostas

 

Não ignore os pontos negativos, você não pode impedir que as pessoas digam algo sobre sua marca, independente se são coisas boas ou ruins. Se for algum ponto negativo você deve responder SEMPRE com respeito e fornecer informações úteis. Sua empresa estará mostrando que se preocupa com a satisfação das pessoas como também está envolvida com todos.

 

9 . Não crie posts grandes demais.

 

Muitos estudos apontam que publicações longas não são lidas pelo público, justamente pela velocidade de informações que são geradas nos feed de notícias. De acordo com Jeff Bullas (SEO, especialista em Social Media Marketing, Content Marketing e Digital Marketing) publicações relacionadas as marcas de varejo funcionam melhor com menos de 80 caracteres, atingindo até 66% a mais de envolvimento que publicações mais longas. Se conseguir trabalhar de 1 a 40 caracteres, as publicações são ainda mais eficazes.

 

Lembre-se: essa informação é de acordo com um tipo de público e de mercado, podendo mudar totalmente. Por isso é importante testar e avaliar sempre o que está dando mais resultado com o seu público.

 

10 . Não pense em publicar somente no horário comercial.

 

De acordo com um estudo da TrackMaven, postagens entre 17h e 1h tiveram 11% a mais de interações que postagens durante o dia (8h à 17h), enquanto essas mesmas publicações após o expediente (17h a 1h) obtiveram 29% a mais de interações que as publicações antes do trabalho (1h à 8h). É comprovado também que publicações aos domingos geram mais curtidas, comentários e compartilhamentos que o sábado.

 

A lição é que você deve publicar em horários diferentes e dias diferentes para descobrir qual o melhor horário para sua empresa, de acordo com o perfil de cada cliente. Nas informações da página você consegue visualizar quais os principais horários de acesso dos seus fãs que ocorreram na última semana. Só testando para saber qual o melhor resultado.

 

11 . Não fale somente de você

 

Esse assunto é muito comum entre os criadores de conteúdo e quem está começando administrar uma página, e por incrível que pareça muitos empresários ainda insistem em achar que tem que enfiar os produtos da empresa dele goela abaixo das pessoas nas redes sociais. Mas as coisas não funcionam assim, é muito importante que a empresa gere valor para transformar as pessoas em fãs e possíveis clientes. Para isso é indicado que você dê alguma coisa de graça para o público. Mas calma aí! Não precisa começar a distribuir produtos e sorteios na rede social, isso só irá atrair interesseiros e não fideliza ninguém.

 

Então pense em que tipo de informação o seu cliente deseja, e crie assuntos relacionados para ele. Por exemplo, dê dicas de como usar o produto, para que serve, como manusear, quais atributos ele tem, isso passará credibilidade sobre o assunto e fará com que as pessoas confiem mais em você. Assuntos relevantes sobre a marca ou produto também são atrativos para as pessoas divulgarem de forma orgânica e se interessarem pelo produto que você realmente vende. Para exemplificar, ficam duas sugestões: se você possui uma academia, pode falar de alimentos saudáveis que irão ajudar a emagrecer ou ganhar massa muscular; se você possui uma loja de roupas, pode dar dicas de looks que as atrizes têm usado, ou que está sendo moda em grandes centros. Para gerar um grande engajamento com suas publicações aborde temas atuais e que todos estão falando, tente fazer com que sua empresa se envolva e participe do assunto realmente, isso com certeza faz com que as pessoas se envolvam com mais facilidade.

 

12 . Não publique demais nem com pouca frequência (mas com regularidade)

 

Procure qualidade do que quantidade nas suas publicações. Não adianta você encher a linha do tempo com postagens de Bom dia e Boa noite se não colocar conteúdo de qualidade para o seu público. Você passará a ser um chato nas redes sociais. Esse tipo de material já teve o seu tempo! Hoje, o Facebook está muito mais seletivo e penalizando ou bonificando publicações relevantes e que trazem conteúdo de qualidade para o público.

 

Isso não quer dizer que você deva postar uma vez por mês. É importante publicar regulamente para manter o público envolvido e mostrar que você está presente e prestando atenção nele. Alguns especialistas dizem que você deve postar no mínimo três vezes por semana e no máximo três vezes por dia. Mas isso muda de acordo com cada segmento: é obvio que uma página de notícias será atualizada com novos conteúdos o dia todo e não entra neste contexto. Por isso, você tem que entender o seu público e descobrir suas necessidades e desejos.

 

13 . Não deixe de testar os tipos de anúncios e direcionamentos.

 

Muitos tem investido em anúncios já que o alcance orgânico está muito baixo; porém, da mesma forma que você viu até agora, por mais que as dicas possam ajudar, é importante experimentar e testar em cada caso e existem vários tipos de anúncios para usar. Além disso, é possível segmentar os anúncios: públicos específicos personalizados por você; pessoas que visitaram seu website ou aplicativo; pessoas que se inscreveram em alguma lista para receber e-mails; públicos semelhantes; dentre outros. A segmentação permite facilidade de direcionamento de cada anúncio, mas como insistentemente já mencionado, é preciso testar para identificar o melhor tipo de anúncio.

Please reload

Posts mais lidos

Supere os desafios "PENSANDO FORA DA CAIXA"

July 1, 2015

1/2
Please reload

Posts recentes
Please reload

Arquivos
Please reload

Procure por Tags
Curte aí
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

Mande um e-mail para o setor responsável, ou ligue pra gente!

 

Design Gráfico

arte@origemdesign.com.br

Origem Brasil Design ® 2019

Todos os direitos reservados